Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Semente de Girassol

Simplificando as complicações...

Semente de Girassol

Simplificando as complicações...

27.08.19

“The True Cost”: o verdadeiro custo da moda


semeado por Flora

the-true-coast-696x365.jpg

Desde o cultivo agrotóxico do algodão, com vista a obter a matéria prima mais rapidamente, ao destino final das roupas descartadas em aterros gigantes, passando pelas condições precárias dos trabalhadores da indústria têxtil, maioritariamente mulheres, o documentário "The True Cost" traz-nos a dura realidade do impacto do consumo de fast fashion diretamente para os nossos ecrãs, para o nosso sofá. E é chocante!

Não dá nem para descrever ou resumir o documentário, pois são 90 minutos de informações às quais é impossível ficar indiferente.

Aconselho vivamente que vejam o "The True Cost" e não voltarão a olhar para as vossas roupas da mesma forma. Esse olhar passará a ser mais consciente na hora de comprar e na hora de escolher as peças de roupa.

O consumismo está tão enraizado na cultura ocidental, que nada poderá fazer mudar o que se passa nos países do terceiro mundo, a não ser uma mudança de comportamentos por parte do consumidor. Não podemos continuar a ignorar e a fingir que não é nada connosco. Será verdadeiramente justo comprar uma camisa por 5€? Quantas pessoas sofrem para que tal seja possível? Que impacto sofre o nosso planeta para que isso seja possível? E, mais importante, quem está enriquecer à custa disso? Não é o consumidor de certeza e também não é o produtor têxtil.

O conhecimento desta realidade torna tão ridícula a corrida às lojas, aos saldos, às promoções, ao lançamento de novas coleções...

Fica a dica: vejam "The True Cost".

14.08.19

Champô Sólido?!


semeado por Flora

Champo sólido e amaciador sólido Quantas embalagens de champô e creme amaciador gasta uma família anualmente? Se for uma embalagem de champô e uma embalagem de amaciador para toda a família por semana, estamos a falar de 104 embalagens de plástico por ano, por lar! Plástico de utilização única, que vai diretamente para o lixo. E isto é uma visão otimista!

A primeira vez que li que devíamos utilizar champôs sólidos como alternativa aos champôs líquidos, confesso que fiquei um pouco cética. Parecia que me estavam a propor voltar uns séculos atrás e lavar o cabelo com sabão rosa, ou algo assim.

Mas a curiosidade ficou, e pensando no plástico das embalagens de champô líquido, acabei por pesquisar na internet sobre o assunto. Descobri várias lojas online onde poderia adquirir o tal produto sólido para experimentar. Daí a encomendar foi um pequeno passo. Optei por experimentar os produtos da Saponina, que apesar de não ter ainda loja online, tive conhecimento pelo facebook e contactei por e-mail.

Gostei muito da simpatia oferecida pela equipa da Saponina e fiz uma encomenda de champô sólido, amaciador sólido e desodorizante sólido, todos formulados com ingredientes biológicos e embalados numa simples folha de papel reciclado. Quando a encomenda chegou, mal podia esperar para experimentar! Essa ansiedade cresceu ainda mais quando abri a caixinha da encomenda e fui invadida pelas fragrâncias maravilhosas dos produtos que encomendei.

Experimentei… É muito fácil utilizar o champô sólido: molha-se e aplica-se no cabelo molhado em movimentos circulares. Faz imensa espuma e lava impecavelmente. Já o amaciador, aplica-se com mais delicadeza, ajudando a desembaraçar o cabelo com os dedos, e o cabelo fica muito sedoso e macio. Os meus filhos já experimentaram e ficaram fãs.

O desodorizante é também simples de utilizar e bastante eficaz.

Manter seco para não se deteriorar! É suposto renderem mais que os produtos equivalentes em estado líquido. Ainda não pude comprovar.

 

Outras marcas que vendem champôs sólidos: Lush, Planetiers, Mind the Trash, Unii, Allegro Natura…

13.08.19

É possível poupar no uso de garrafões


semeado por Flora

Há dias dirigi-me a uma loja Pingo Doce e deparei-me com esta excelente iniciativa: Eco – Água Filtrada. Trata-se de uma máquina que enche garrafões com água canalizada, que passa por um sistema de purificação.

água eco.jpg

 

Basicamente, funciona assim: compra-se um garrafão de 3 litros que se enche imediatamente na máquina, pagando 1€ por garrafão. Quando voltarmos ao mesmo supermercado, ou a outro supermercado que possua o sistema, levamos o garrafão e voltamos encher na máquina, pagando 0,18€ pelos 3 litros.

Após uns minutos de hesitação, lá decidi experimentar. Para minha surpresa, a água é ótima, ninguém em casa notou diferença no sabor, relativamente à água engarrafada.

Supondo que utilizamos o mesmo garrafão 20 vezes antes de o deitar fora, em vez de deitarmos fora 10 garrafões de 6 litros, apenas deitamos um garrafão de 3 litros. Há dúvidas que esta iniciativa ajuda a reduzir o plástico?

Parabéns ao Pingo Doce por esta iniciativa! Esperemos que consigam implementar o sistema em todas as lojas, permitindo que todos nós tenhamos uma alternativa que nos permita ajudar na proteção da Terra.

13.08.19

A Terra precisa de ajuda urgente!


semeado por Flora

por-ti-terra-01.jpg

Todos os dias somos alertados para a degradação do nosso planeta, resultante de comportamentos errados e estilos de vida inadequados que fomos adquirindo. Esses comportamentos estão de tal forma enraizados na sociedade moderna, que nos parece impossível “dar a volta” à situação. A alteração de comportamentos com vista à defesa do planeta parece até um entrave ao progresso, tantas vezes associado ao consumo de energias e de recursos.

Está na hora de refletir sobre este tema e estabelecer metas para concretizar as mudanças necessárias. Se é verdade que nos parece impossível ajudar individualmente, visto que somos apenas um dos quase 8 bilhões habitantes da Terra, é também verdade que foi individualmente ou em pequenos grupos que foram surgindo as ideias que deram origem ao descalabro ambiental que se vive atualmente.

Não podemos esperar que as mudanças venham do topo. Temos que ter a iniciativa de agir por nossa conta. Por exemplo, vamos esperar que proíbam os sacos plásticos para a compra de frutas e legumes? Porquê, se podemos mudar já esse comportamento? E é tão fácil. Vou deixar uma dica noutro artigo.

Temos o dever, cada um de nós, de fazer a nossa parte. Não parece fácil, e de facto não é, pois somos quase reféns dos hábitos de hoje. Além disso, se formos pesquisar por alternativas ecológicas aos produtos que utilizamos no nosso dia-a-dia, verificamos que na sua maioria são mais dispendiosas. Mas também não podemos acomodar-nos a essa ideia e simplesmente não fazer nada, certo?

Proponho uma mudança gradual e individual de comportamentos. Vamos agir individualmente e juntos seremos mais fortes!

A minha ideia base é não procurar mudar tudo. Vamos dar um passo de cada vez. E assim, passo a passo e devagarinho, uma mudança de cada vez, vamos conseguir!